skip to Main Content

De um modo sistemático, podemos compreender como estamos perante a concorrência, e assim saber como a ultrapassar.

Ricardo Godinho | Marketing Analyst

#1 ENQUADRAMENTO POSICIONAL E ESTRATÉGICO DO NEGÓCIO

Para começar estudar a concorrência de qualquer negócio, sugerimos começar por modelos simples, como Estratégia Genérica de Porter, para compreender melhor o enquadramento competitivo:

estrategia generica de porter para analise de concorrencia

 

Existem vários modelos de análise estratégica do negócio, por exemplo Porter com as 5 Forces, onde se chama a atenção para outros tipos de concorrentes, que podem ser bem mais relevantes que a concorrência no sentido estrito.

Image result for porter 5 forças

 

Existem outras Estratégias a considerar

Conhece o Cirque du Soleil? sem querer eles usaram a Estratégia Blue Ocean, tornando-se num verdadeiro case study. A estratégia, é posicionar-se onde não há concorrencia.

Neste enquadramento, o marketeer tem que ter uma mente muito aberta, de forma a captar a essência da estratégia do empresário, por vezes nem ele sabe como, mas é necessário redigir para dar sentido ao que vem a seguir.

#2 COMPARATIVO  DA ANÁLISE DE CONCORRÊNCIA

Da seguinte tabela percebe-se perfeitamente o que se pretende. Contudo, a dificuldade é precisamente determinar quais são os fatores relevantes para o contexto concorrencial. Existem fatores que são obrigatórios para estar na corrida, como ter wifi num hotel, e outros que determinam a diferenciação.

 

Alguns fatores que podem ter que ser analisados: 

  • branding : medir a percepção das marcas nos mercados onde concorre, é um processo que é efetuado através de entrevistas diretas ou de inquéritos online.
  • presença : em termos de colocação de meios e campanhas, o que é que a sua concorrência está a fazer. Existem várias ferramentas, por exemplo no Social é utilizado o RivalIQ. É extremamente importante saber como se posiciona na Google, e quais as posições por palavra chave.
  • proposta de valor : vigiar quais são os valores que cada serviço ou  produto se propõe no mercado.
  • execução operacional : qual é a rapidez de execução da empresa, qualidade, stocks, produtividade dos trabalhadores. No final é importante saber se a concorrência entrega aquilo que diz entregar.
  • preço: é obvio que tem que conhecer a estratégia de preço da sua concorrência.
  • força de vendas : quais são os processos de vendas da empresa, qual a taxa de sucesso comercial.
  • inovação : quais são as inovações que a empresa tem efectuado.
  • aparência: a psicologia das cores e entre outros, até a roupa que os funcionarios vestem conta, são as mensagens subliminares que têm que ser estudadas.
  • crescimento de mercado: tudo é relativa ao tipo de mercado, o fenómeno das máquinas digitais de fita versus máquinas digitais e agora smartphones com capacidade de 20 MPx é um exemplo.
  • visão: existe missão e visão, qual a consciência no enquadramento da empresa.

#3 QUEM SÃO OS VERDADEIROS CONCORRENTES

A Empresa deve encontrar o espaço entre aquilo que faz e para quem faz (o mercado alvo). É nesse espaço que encontra os concorrentes. Também, ver se aquilo que os concorrentes fazem, mas a Empresa não, se deveria recomendar ser uma capacidade da Empresa.

compreender plano de marketing

É aqui que o campo de batalha é definido, onde o marketeer se concentrar em fazer destacar a sua empresa. 

 

3 Erros Comuns:

  1. Muitos marketeers produzem conteúdos para as redes sociais, em que have um minimo de efeito na reputação real na marca, no sentido que se tornam mais reconhecidos como entertainers.
  2. Lançar-se contra concorrentes demasiados poderosos, acreditando que irão ser assim rápidamente.
  3. Atacar mercados que não tem nada a haver com o seu alvo, sendo isso notado nas campanhas online pagas.

 

 

#4 COMPETIR NO MARKETING NA JORNADA DE COMPRA

De nada serve competir em meios, em campanhas onde o mercado não lhe toca. Para analisar a concorrência, a Empresa necessita de saber os “Touchpoints” do mercado:
É nestes pontos de contacto onde se deve concentrar o estudo de concorrência. Se um concorrente decide investir em publicidade no Jornal do Algarve, quando 99% do seu mercado é no Minho, ou quer entrar num novo mercado ou deixou-se seduzir por investimento sem nexo.

#5 LANÇAR OS ESPIÕES SOBRE A CONCORRÊNCIA

Queremos saber como anda a concorrência nos espaços que ocupamos, tal como as redes sociais, publicidade paga, pesquisas orgânicas, networking, televisão, imprensa e demais meios. E também saber o que é que a concorrência anda a fazer, e a nossa empresa não, pois pode-se estar a perder uma oportunidade.

 


Concorrência nas redes sociais

Existem várias plataformas de análise de concorrência nas redes sociais. Pretende-se ver qual o impacto nas redes sociais.

Resultado de imagem para COMPETITIVE ANALYSIS


Concorrência nas pesquisas organicas

Existem diversas informações que podem ser relevantes, tal como o posicionamento de palavras de pesquisas que são importantes, quantas vezes uma marca é procurada na google, qual o moz ranking ou outro, como estão os links.


Publicações da concorrência

Existem várias ferramentas que permitem a constante monitorização do que se passa na concorrência, em termos de publicações online, abaixo o exemplo da Innguma.
Resultado de imagem para innguma

 


Serviços de Clipping

São outra fonte de informação, extra digital, muito comum no caso da imprensa. A Cision é um dos players nesta área, e estende-se para outras áreas.

Análises qualitativas e estudos de mercado

Como analistas que somos, nunca podemos deixar de olhar para as análises qualitativas para aferir se estamos a tirar as conclusões correctas.

O fenómeno de determinada loja online, cuja marca era muito pesquisada, e depois descobre-se na análise qualitativa, que essa marca dava grande apoio na informação no produto, para depois se comprar num concorrente.

 


Branding competition analysis

Para o efeito, e através de inquéritos, queremos saber a concorrência através da matriz: relevância, diferenciação, estima e conhecimento, segundo o modelo Brand BAV:

 

 


Mano a Mano

Não se fala e pouco se escreve, mas a forma informal de se analisar a concorrência, ou melhor cheirar, é uma das mais comuns.  A questão aqui é a falta de sistematização, e por conseguinte pode faltar a visão completa do jogo.

Resultado de imagem para spying competition shop

Serviço Good Intelligence
Análise da Concorrência para Pequenas Empresas
O que fazemos:
Análise da Concorrência para Pequenas Empresas
Entidade
Good Intelligence,
Onde fazemos:
Portugal
Descrição:
Estar atento à competitividade, no mínimo para não ser esmagado, ou decidir onde investir, como se posicionar é o que gestores a sério normalmente fazem. A análise de concorrência, de mercado, da indústria são a informação necessária.
Back To Top